Justiça condena funcionários de clínica de reabilitação por crime de tortura

  1. Home
  2. /
  3. Informativo
  4. /
  5. Notícias
  6. /
  7. Justiça condena funcionários de...

Consta da denúncia que, em 2014, dez internos da clínica foram submetidos diariamente, ao longo de cinco meses, a tratamento cruel e desumano, com emprego sistemático de violência física. Os funcionários foram presos em flagrante.

Ao proferir a sentença, o juiz Jayme Walmer de Freitas, afirmou que o crime de tortura foi comprovado pela constância na aplicação de métodos violentos e encarceramento como medida punitiva das vítimas. “A despeito dos laudos do IML atestarem lesões de natureza leve, o crime de tortura não resta rechaçado, por conta da constância e repetição das ‘contenções’ e agressões físicas desnecessárias”, escreveu o magistrado. “O sofrimento físico aliado à humilhação moral impostos aos internos caracteriza o crime de tortura, porquanto provocaram intenso sofrimento.”

Cabe recurso da sentença.

Processo nº 0024475-72.2014.8.26.0602

Fonte: TJSP

10 de fevereiro de 2020